sábado, 30 de janeiro de 2016

7 PASSOS PARA INTERPRETAR A BÍBLIA CORRETAMENTE

            Não sou nenhum especialista em hermenêutica e exegese, mas creio poder expor aqui alguns passos básicos para se chegar a uma boa interpretação de alguma passagem da Bíblia Sagrada. Antes do passo 1, faça uma oração clamando a iluminação do Espírito Santo, depois você deve escolher uma passagem bíblica básica e fazer uma primeira leitura corrida dessa passagem. Escolha uma passagem com significado geral, não um fragmento mínimo sem sentido. 

       Passo 1 -  MÉTODO SOCRÁTICO: É comum ouvirmos “A Bíblia interpreta a si mesma”, “Um texto fácil explica um mais difícil”, “Procure o outro lugar na Bíblia que fale da mesma coisa”. Há algo de errado com essas regras hermenêuticas? Não exatamente, mas sim em fazer delas o primeiro passo metodológico de interpretação. O primeiro passo a ser usado diante de um texto bíblico base deve ser o método socrático, isto é, faça perguntas diante do texto. As perguntas a serem feitas são as seguintes: “Quem escreveu isto? ” “Quando e onde foi escrito? ” “A quem o texto se dirige? ” “O que o texto diz? ”, “O que esse texto afirma ou nega”. NÃO pergunte neste momento: “O que esse texto significa para mim? ” “Por qual motivo o autor escreveu isso? ” “O que esse texto sugere? ” ou “Qual é a aplicação desse texto?”
       Passo 2 -  ANÁLISE CONTEXTUAL: Respondendo às perguntas do método socrático faça uma análise contextual e gramatical. Na realidade o passo 1 e 2 são inter-relacionados e praticamente simultâneos.  Analise o texto dentro (i) do seu parágrafo (ii) do seu capítulo (iii) do conjunto de capítulos sobre o assunto (iv) do livro em geral (v) do pensamento geral do autor do livro e (vi) do contexto histórico. Também é útil comparar traduções e buscar o significado de uma palavra-chave na sua língua original, mas seja cauteloso para não cometer uma falácia etimológica: isto é confundir a ETIMOLOGIA de uma palavra com seu SIGNIFICADO.
       Passo 3: ANALOGIA DA FÉ: Agora sim, você pode procurar outros textos paralelos que falem do mesmo assunto ou que mantenham alguma relação com o texto base: faça com esses textos o mesmo feito com o texto base (passo 1 e 2). Feito isso verifique se as expressões iguais desses textos realmente têm significado análogo. Por ignorarem os passos 1 e 2 e pularem logo para o 3, muitos erros têm surgido. Corremos o risco de duas construções serem iguais e idênticas, mas com significados diferentes pois o contexto não é o mesmo. Os autores bíblicos, às vezes usam a mesma palavra com sentidos totalmente diferentes, por exemplo, a palavra "obras" para Paulo tem um significado totalmente diferente de "obras" em Tiago. Só depois de esgotado a análise do contexto dos textos que você poderá saber se esses textos são de fato paralelos.
       Passo 4: DEDUÇÃO LÓGICA: Organize as informações adquiridas até aqui e usando a lógica veja as conclusões que se pode deduzir delas. Suponhamos que o texto que você esteja analisando seja 2 Timóteo 3.16-17. Com os passos 1 e 2 você descobriu que esse texto ensina que “As Escrituras são a Palavra de Deus”. Com o passo 3 você chegou a Hebreus 6.18 e novamente usando os passos 1 e 2 descobriu que “Deus não pode errar”. O que se pode deduzir das informações: (i) “As Escrituras são a Palavra de Deus” e (ii) “Deus não pode errar”? Simples: “As Escrituras não podem errar”. (Para se sair bem nesse passo é importante estudar lógica dedutiva*).
       Passo 5: ANALOGIA COM A REVELAÇÃO GERAL: Compare a sua conclusão do passo 4 com as descobertas científicas, históricas, arqueológicas, etc. Uma conclusão clara de outras áreas do conhecimento pode ser usada para corrigir uma interpretação bíblica errônea. Por exemplo, se interpretando Apocalipse 7.4 você concluiu que a Terra é quadrada, mas é um ensino científico evidente que a Terra é esférica, isso é um sinal de que você precisa rever sua interpretação. O contrário também pode acontecer: Uma interpretação científica errônea pode ser corrigida por um ensino evidente da Bíblia Sagrada. A Bíblia e as evidências da Ciência não podem se contradizer: ou sua interpretação bíblica está equivocada, ou a análise dos cientistas das evidências disponíveis está errada.
       Passo 6: CORRELAÇÃO GERAL: Compare suas conclusões com outras doutrinas que você já conhece. Sua conclusão se encaixa ou se contradiz às outras informações que você já obteve?  O Sistema Geral das doutrinas cristãs não pode conter contradições internas. Se sua nova conclusão não se encaixar no sistema geral, revise todos os passos anteriores para descobrir onde errou. Se não houve erro, isso irá exigir uma revisão no seu sistema, mas antes vá ao passo 7.
       Passo 7: CONSIDERAR A CONCLUSÃO DE OUTROS: Compare seu sistema com o que dizem os pais da Igreja, os credos, as confissões, comentários bíblicos e os grandes exegetas da História. Todo aquele que ignora esse passo está condenado a repetir os mesmos erros já cometidos por outras pessoas. Pode ser que você tenha chegado a uma conclusão que na realidade é uma interpretação errônea que já foi refutada na História da Igreja ou por algum exegeta. Avalie se sua conclusão está de acordo com a ortodoxia histórica e os melhores exegetas, se não, veja se ela resiste aos argumentos da Teologia Histórica e dos exegetas ortodoxos. Em caso negativo será necessária uma nova revisão para encontrar o erro.

        Seguindo esses passos cuidadosamente creio ser possível chegar a uma compreensão mais exata das Sagradas Escrituras. Se você seguiu adequadamente todos os passos terá chegado a interpretação correta do texto que é uma só, só então poderá pensar nas múltiplas aplicações. Também, só agora você está autorizado a perguntar: “Qual a aplicação prática desse texto?”. Lamentavelmente muitos procuram a “aplicação do texto para si” sem passar pelos sete passos. Por fim, ore a Deus agradecendo pelas verdades reveladas e clame para que a graça divina te leve a uma teologia prática.

BIBLIOGRAFIA:
Geisler, N. (2015). Teologia Sistemática 1. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, especialmente capítulos 10 e 12; *estude o capítulo 5 

Nenhum comentário: